O ciclo da água

Só com a extraordinária colaboração de três elementos da equipa da Biblioteca Escolar –  as professoras Cidália Machado e Susana Meireles e o professor Osvaldo Sousa – é que foi possível planificar, construir e apresentar a atividade “O ciclo da água”, na passada quarta-feira, à turma do 4º A.

A atividade proposta aos alunos é feita a partir da leitura do conto “O ciclo da água”,  de Cristina Quental e Mariana Magalhães, passando-se de seguida para a exploração da fantástica maquete da autoria do professor Osvaldo Sousa – que permite representar e demonstrar todo o ciclo da água – a partir da qual os alunos são convidados a participar, identificando, graças à exemplificação das transformações físicas da água (evaporação, condensação e fusão) e do movimento da água na natureza (precipitação e infiltração), todas essas fases do ciclo da água.

As professoras Cidália Machado e Susana Meireles fizeram a demonstração prática das referidas transformações físicas da água e movimentos da água na natureza (aquecimento de água num gobelé com a ajuda de um disco elétrico, simulação da formação de nuvens com a condensação do vapor de água num placa de vidro; simulação da precipitação utilizando uma “esponja-nuvem” e infiltração da água da chuva numa tina de vidro com terra). Em seguida, os alunos foram convidados a aplicar os conhecimentos na exploração da maqueta, afixando as etiquetas com os termos empregues no ciclo da água correspondentes às etapas representadas na maqueta.

Por fim, procedeu-se à distribuição de papel com o modelo do origami abre e fecha, apelidado pelos alunos de “moranguinho” ou “quantos queres”, claro está com questões associadas ao ciclo da água.

Esta iniciativa irá prolongar-se no 3º período alargando-se a outras turmas do ensino regular e da educação especial. Um agradecimento a todos pelo empenho nesta atividade que, estamos certos, contribui para despertar o interesse dos alunos para as Ciências em geral.

Anúncios

Itinerância de contos

Após a implementação da circulação pelas escolas de 325 livros, iniciou-se na semana passada a atividade “Itinerância de contos” – dinamização de sessões de contos –  que leva um elemento da equipa da biblioteca todas as semanas a uma das EB1/JI da unidade orgânica. Foram já contempladas com as referidas sessões três escolas: a EB1/JI de Porto Martins, a EB1/JI Francisco Soares Oliveira, EB1/JI de Santa Lúzia e a EB1/JI do Cabo da Praia.

São feitas nas escolas duas sessões nas manhãs de terça feira, destinadas ao grupo do Pré-Escolar e 1º ano e uma outra para os alunos dos 2º, 3º e 4º anos, podendo haver variações em conformidade com o número de turmas e populações escolares. Esta atividade tem merecido um bom acolhimento e muito entusiasmo por parte dos alunos.

As obras usadas para as sessões são: “A formiga horripilante”, de Liz Pichon, “O Grufalão”, de Julia Donaldson, “Orelhas de borboleta”, de Luisa Aguilar, “Amélia quer um cão”, de Tim Bowley e “A que sabe a lua?”, de Michael Grejniec.

Por fim, uma palavra de agradecimento aos docentes das EB1/JI pela acolhedora receção e pelo apoio prestado a esta atividade que só terminará no final do ano letivo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Zbiriguidófilo

Sim, é não só estranho como difícil de pronunciar o nome do conto  de Keil do Amaral! É, contudo, extremamente divertido e tem despertado o interesse dos alunos que à quinta-feira de manhã visitam a nossa biblioteca para uma sessão de contos. A história é narrada pela professora Noélia, exímia contadora, e leva já sete sessões para os alunos do 1 e 2º ano e da Educação Especial.

O final da história é aberto e deixa por isso à livre criatividade de cada criança a ilustração do pequeno “zbiriguidófilo”. Zbiri…Repita, por favor!

img_20170112_105545930 img_20170217_103814937

Correntes de contos

Ao longo das últimas semanas, à quinta-feira, todas as oito turmas do 1º e 2º ano da EBI da Praia da Vitória têm participado numa sessão de contos protagonizada pela equipa da biblioteca escolar. É-lhes contada a divertida história do “Zbiriguidófilo” pela professora Noélia Horta, propondo-se aos alunos um desafio à sua imaginação, através de um desenho deste “ser” do qual não existem imagens. Ao longo da atividade são ainda contadas as histórias “Orelhas de borboleta”, “Amélia queria um cão”, ambas as obras da editora Kalandraka, e, por fim, “A menina que queria ser maçã” do escritor angolano José Eduardo Agualusa. A parir deste livro são feitas abordagens à simbologia da maçã na ciência, na mitologia, na História e na saúde, oferecendo-se no final uma maçã a cada aluno, explicitando-se a partir do adágio “uma maçã por dia mantém o médico longe” as vantagens de integrar essa fruta na alimentação.

image-2amelia-quer-um-cao-pt_01

Correntes de contos

 

Iniciou-se hoje na nossa biblioteca a atividade “Corrente de contos” com uma sessão destinada ao alunos da A do 1º ano. Os livros escolhidos para a sessão foram “Sobe e desce” de Olivers Jeffers e “10 Patinhos de Borracha” de Eric Carle. Dois livros muito interessantes que nos falam do valor da amizade e da família, reforçando a importância do sonho e da imaginação.

Os dez alunos do 1º A, curiosamente também dez como os patinhos de uma das histórias, escutaram atentos e participativos. Mais um importante momento de promoção da leitura e do livro na nossa biblioteca escolar. Amanhã daremos continuidade a outra sessão de dinamização da leitura em articulação com a Feira de Minerais, intitulada “Pedras com histórias”, destinada aos alunos do 4º ano.

img_780210-patinhos-pt_01capa-sobe-e-desce

Alunas da EBIPV premiadas em concurso literário

IMG_5110
Maria Pereira do 3º A e Laura Resendes do 5º D

Parabéns às duas alunas da nossa escola – Maria Pereira do 3º A e Laura Resendes do 5º D – que na 2ª edição do concurso literário «Palavras com História», destinada aos alunos do ensino básico das escolas da Região e que tinha como desafio a redação de um conto subordinado ao tema “A liberdade”, obtiveram uma excelente classificação. A aluna Maria Pereira obteve o 3º lugar no 1º escalão (1º Ciclo – 3º e 4º ano), entre sessenta e nove concorrentes e a aluna Laura Resendes, por sua vez, obteve o 5º lugar, no 2º escalão (2ª Ciclo), entre cento e setenta e quatro participantes do segundo escalão. Ambas obtiveram uma classificação extraordinária e dignificaram a participação da EBI da Praia da Vitória neste concurso literário.

As alunas são merecedoras dos prémios e diplomas que em breve irão receber! Um agradecimento especial a todos os alunos participantes da nossa escola, aos professores e aos pais que contribuíram para a participação neste concurso. Recordamos que já no ano anterior a nossa escola havia tido um excelente desempenho neste concurso, obtendo então o 1º e 2º lugar no escalão do 2º Ciclo. Contamos com uma participação dos nossos alunos já no próximo ano, na 3ª edição deste concurso.

Os resultados podem ser consultados neste link:

http://rrbe.azores.gov.pt/destaque.php?id=27

A vaca que pôs um ovo (e não foi de chocolate!)

 

Concluiu-se na passada quarta-feira o ciclo de sessões subordinadas à história “A vaca que pôs um ovo” e que procurou associar a literacia da leitura e da informação junto dos cerca de 90 alunos do Pré-Escolar.

Compete-me agradecer desde já à equipa da Biblioteca Escolar e aos colaboradores pelo seu empenho e entusiasmo, à Equipa do Projeto de Educação Afetivo-Sexual, não esquecendo as educadoras de infância da EBI da Praia da Vitória que muito bem trabalharam a história com os seus alunos.

Deixamos aqui um registo fotográfico da passagem pela biblioteca escolar de todas as turmas do Pré-Escolar. Até breve.

A vaca já pôs o primeiro ovo!

 

Iniciaram-se já as sessões de conto às turmas do Pré-Escolar na Biblioteca Escolar, com a leitura da curta mas divertida história, “A vaca que pôs um ovo”. A professora Noélia Horta foi a expressiva contadora da história que muito entusiasmou e divertiu os meninos e meninas da turma A do Pré-Escolar da EBI da Praia da Vitória.

Esta iniciativa surge em articulação com o Projeto de Educação Afetivo-Sexual desta escola, em que foi proposto às educadoras uma abordagem inicial, em sala de aula, desta história, sendo posteriormente recontada em sede da biblioteca escolar e complementada com atividades lúdico-didáticas.

Graças ao contributo da Profª Helena Louro, responsável pelo cenário e pelas imagens das famílias dos animais, os alunos tiveram a oportunidade de aflorar a reprodução e fecundação animal e distinguir os animais ovíparos e vivíparos. Apresentou-se ainda um jogo didático, cedido pelo docente Emanuel Monteiro, que permitiu aos alunos no computador associarem os animais ao seu tipo de reprodução. No final, todos tiveram acesso a um desenho de um animal ovíparo ou vivíparo para fazerem a respetiva pintura na biblioteca escolar.

Um agradecimento aos colaboradores da equipa da BE e aos educadores de infância.

Livros que vão dar que falar

 

A Biblioteca Escolar adquiriu dois livros extraordinários que vão dar muito que falar, em particular para os alunos do 1º e 2º ano. Por que será? E o que uma formiga horripilante tem em comum com uma ovelha preta?

Mistérios para serem respondidos brevemente no lugar próprio – área do Pré-Escolar e 1º Ciclo da Biblioteca Escolar. Nem mais!

A Formiga Horripilante

7

 

 

As cores do Clube de Leitura

 

Os alunos do Clube de Leitura, acompanhados pelos professores Teresa Meneses e Augusto Oliveira, apresentaram aos alunos do 4º A, no passado dia 18, a leitura dramatizada do conto “O semáforo único” de António Torrado e o poema “Meninos de todas as cores”, de Luísa Ducla Soares. Estas atividades foram acompanhadas de atividades exploratórias em torno das cores e do seu significado na vida das pessoas, das suas representações e da sua importância na organização das bibliotecas escolares. Na nossa biblioteca, como é sabido, é usada a simbologia da cor, já que a cada uma das classes da Classificação Decimal Universal corresponde uma cor. Fez-se deste modo, a propósito da cor, uma breve formação de utilizadores aos alunos do 4º A.

Já na sequência da leitura do poema de Luísa Ducla Soares, os alunos dividiram-se em cinco grupos, formados todos eles por alunos do 4º ano e um aluno do Clube de Leitura. Pintaram no rosto uma cor diferente simbolizando as várias cores de pele da raça humana. Após a leitura em conjunto do refrão do poema, explorou-se com os alunos as temáticas da diversidade, do racismo, do respeito pelas diferenças e pelos direitos do homem. Esta atividade vai continuar todas as quartas-feiras à tarde para os alunos do 4º ano.

Antecipamos com esta iniciativa a comemoração do Dia Mundial dos Direitos Humanos, dia 10 de dezembro.