Encontro com a escritora Fernanda Botelho

No dia 07 de novembro, dia das Bandeiras Verdes, recebemos no auditório da nossa escola, em duas sessões para o 3º ciclo, a escritora e membro do projeto Eco-Escolas, Fernanda Botelho.

Fernanda Botelho nasceu na Tojeira, Sintra, e aos 17 anos viajou para Londres, onde iniciou e concluiu a formação como educadora no método Montessori. Na capital inglesa, estudou ainda pedagogia Waldorf e fotografia, realizando cursos sobre plantas medicinais. Membro da Herb Society UK desde 1997, regressa a Portugal aos 37 anos e desenvolve projetos de educação ambiental junto de escolas, de associações culturais e de câmaras municipais. Autora do blogue Malva Silvestre, estuda literatura infantil com António Torrado e Margarida Fonseca Santos.

Para além dos livros infantis publicados recomendados pelo PNL publica As Plantas e a Saúde, um guia de remédios caseiros, já na segunda edição, recentemente Uma Mão Cheia de Plantas que curam e 7 agendas anuais desde 2010 sobre plantas e flores. No seu jardim, partilha os dias com plantas medicinais espontâneas e cultivadas, um enorme sabugueiro, uma velha figueira, muitos pássaros e alguns gatos.

Anúncios

Novidades Literárias

A nossa Biblioteca, através do sr. Vereador da Cultura, recebeu  um voucher em compras na feira do livro “Outono Vivo”. Deste modo conseguimos adquirir novas obras para os nossos leitores.

Agradecemos à Câmara Municipal da Praia da Vitória a sua excelente oferta.

Apresentação do livro “Guirilampo” pela escritora Sónia Sousa

Por iniciativa da Rede Regional de Bibliotecas Escolares (RRBE), recebemos no  dia 17 de maio, no auditório da EBIPV,  a escritora e encenadora Sónia Sousa. Em duas sessões de leitura encenada para mais de duzentos alunos do 3º ciclo, a autora em conjunto com o ator Diogo Rosas apresentou o seu mais recente livro “O Guirilampo”.

O Guirilampo é um livro de literatura para a infância com ilustrações em aguarela, cuja harmonia entre texto e cor se funde. Absorve o leitor numa viagem única, ao mundo dos afetos. Aborda a morte, não como um fim mas como uma transformação, sendo que a palavra (Morte) não está escrita no livro. Fala sobre a solidão, a velhice e, acima de tudo, sobre a amizade verdadeira que permanece além da despedida de quem vai “RESSONHAR” para sempre.

Com uma introdução emocionante que pôs muitos dos presentes com uma lágrima no olho e cenários dignos de contos de fadas a apresentação dinâmica e interativa conquistou o público presente.

Sónia Sousa é visivelmente uma apaixonada pelo que faz e transmite uma energia extremamente positiva às pessoas. Aguardamos para breve uma nova visita.

 

Novos livros na BE

No decorrer da feira do livro do “Outono Vivo” e devido à generosa oferta por parte da Câmara Municipal da Praia da Vitória, a nossa biblioteca pode adquirir um considerável número de livros para ambos os ciclos do ensino básico.

Aguardamos a vossa visita. Boas leituras.

Escritor Emanuel Areias na BE

IMG_8553

Nos dias 7 e 8 de novembro, recebemos o escritor Emanuel Areias na biblioteca da nossa escola, em quatro sessões de apresentação do seu recente livro “Crónicas de um estudante ilhéu”, à qual puderam assistir todos os alunos do 7º ano.

Emanuel Areias nasceu a 27 de Agosto de 1996 e é natural da Vila Nova, ilha Terceira e foi aluno na nossa escola. Desde tenra idade começou a interessar-se pela História Contemporânea Portuguesa, pela política a nível nacional e internacional. Com 16 anos de idade escreveu o primeiro artigo de opinião para o Diário Insular, intitulado “Improviso Popular confronta gerações”, tendo por objeto um tema de que gosta muito, a cantoria. É estudante do último ano de História Moderna e Contemporânea, no ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa. De 2013 a 2014, publicou vários artigos de opinião em jornais açorianos, nomeadamente no Diário Insular, Açoriano Oriental e Jornal da Praia. Em Maio de 2014 iniciou uma parceria com a plataforma online Azores Digital que mantém até hoje. É autor do livro “Observar não Chega.”

No final das sessões o escritor fez questão de deixar um exemplar do livro apresentado na nossa biblioteca.

Dia da Biblioteca Escolar

Aproveitando o Dia da Biblioteca Escolar e o facto de parte dos nossos alunos terem interesse na modalidade de voleibol, a Biblioteca Escolar convidou para uma entrevista, via Skype, o Coordenador da Formação de Voleibol do Sport Lisboa e Benfica e treinador de Juvenis Masculinos e Seniores B. Assim, no dia 23 de Outubro, os alunos do 8ºA, 9ºA e B, praticantes ou interessados pelo desporto, pelo voleibol e pelo Benfica entrevistaram Diogo Carneiro.

As turmas, maioritariamente representadas por alunas, praticantes de voleibol da Associação de Jovens da Fonte do Bastardo e da Associação Desportiva e Recreativa Escolar Praiense, tiveram oportunidade de conhecer mais sobre o percurso e a experiência de Diogo Carneiro, em termos académicos e profissionais.

Diogo Carneiro revelou que os sete anos de permanência no Benfica como treinador de Voleibol, e agora Coordenador de Formação, têm sido um desafio e a concretização de um projeto de equipa do qual se orgulha e de onde retira muita satisfação.

Este é um excerto da entrevista realizada:

“Quando era da nossa idade gostava de estudar?”. “Nem por isso…mas sempre tive como objetivo nunca obter níveis inferiores a três e, no último período, ser aluno de cinco a todas as disciplinas”.

“Quando decidiu ser treinador?”. “Quando era da vossa idade sugeri à minha professora de Educação Física ser treinador de minivoleibol na escola onde estudava”.

“Tem algum conselho específico para nos dar?”. “O importante é que se sintam bem na modalidade que praticam e na equipa em que estão, independentemente de estarem a jogar ou de estarem no banco, de jogar melhor ou pior”.

“Tem algum ritual antes dos jogos?”. “Gosto de levar o jogo bem preparado, analisar os jogos com os meus atletas e prepararmo-nos o melhor possível.”

-“Costuma ver os jogos de Benfica com a A. J. da Fonte do Bastardo?”. “Sim, excepto quando tenho jogos”.

“Como era a biblioteca da sua escola?”. “Fui um privilegiado, porque estudei numa escola com cerca de 100 anos, cuja biblioteca era impressionante e nos fornecia toda a informação que precisávamos, uma vez que na altura não havia internet”.

“Qual é o seu livro preferido?”. “Tenho alguns… mas o meu preferido é “O Principezinho” de Antoine de Saint-Exupèrie. Aconselho que o leiam e, passados cinco anos voltem a ler, continuem a lê-lo sempre…”

A atividade que se desenvolveu entre as 12:30-13:00h, na Biblioteca da escola, respondeu ao desafio do mês Internacional da Biblioteca Escolar “conetando comunidades e culturas em 2017” e revelou-se uma experiência muito positiva para as turmas – “Gostámos muito!”.

Além desta atividade, toda a comunidade escolar foi convidada a preencher o mural “A minha Biblioteca É…”. As turmas do 3º ciclo deixaram uma frase coletiva sobre a temática.